Blog maternidade

logo do blog

Displasia do desenvolvimento da anca no bebé

A displasia do desenvolvimento da anca no bebé é um problema que poderá ser desenvolvida após o parto. Neste artigo vou responder de forma simples, mas completa às seguintes perguntas:

1 – O que é a displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

2 – O que acontece numa anca com displasia no desenvolvimento?

3 – Quais são os sinais e sintomas da displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

4 – O que é a frouxidão da anca no bebé?

5 – Como é diagnosticada a displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

6 – Como é tratada a displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

7 – Que mais devo saber sobre a displasia do desenvolvimento da anca nas crianças?

O que é a displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

A Displasia do desenvolvimento da anca no bebé? é um problema com a forma como a articulação da anca do bebé se forma. Por vezes, a doença começa antes de o bebé nascer e, por vezes, ocorre após o nascimento, à medida que a criança cresce. Este problema pode afetar uma anca ou ambas.

O que acontece numa anca com displasia no desenvolvimento?

A articulação da anca é uma articulação de bola e encaixe. A parte superior do fémur (a parte esférica da anca) fica dentro de um encaixe que faz parte do osso pélvico. A bola move-se em diferentes direções, mas fica sempre dentro do encaixe. Isto permite-nos mover a anca para a frente, para trás e de um lado para o outro. Também suporta o peso do nosso corpo para andar e correr.

Na displasia do desenvolvimento da anca no bebé o que aconteça é que a anca não se forma bem. A parte esférica da articulação pode estar completamente, ou parcialmente, fora da cavidade. Por vezes, a parte esférica pode deslizar para dentro e para fora da cavidade. Muitas vezes, a cavidade é pouco profunda. Se isto não for corrigido, a articulação da anca não crescerá bem, e poderá provocar dores ao andar e artrite da anca numa idade precoce.

displasia do desenvolvimento da anca no bebé

Quais são os sinais e sintomas da displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

A displasia do desenvolvimento da anca não causa dor nos bebés, pelo que pode ser difícil de detetar. Os médicos ou osteopatas verificam as ancas de todos os recém-nascidos e bebés durante os exames de saúde para procurar sinais de displasia do desenvolvimento da anca.

Contudo, os pais podem estar atentos se as ancas do bebé fazem um estalo ou um clique que é ouvido ou sentido, se as pernas do bebé não têm o mesmo comprimento, se a anca ou perna do bebé não se move da mesma forma que o outro lado, se as pregas cutâneas por baixo das nádegas ou nas coxas não estão alinhadas.

Se notar que o seu bebé tem um ou mais destes sinais deve consultar o pediatra do seu filho ou um profissional de osteopatia infantil, para que seja feita uma avaliação e diagnostico exato.

Descobrir e tratar a displasia do desenvolvimento da anca no bebé precocemente significa que existe uma maior probabilidade de as ancas do bebé se desenvolverem normalmente.

O que é a frouxidão da anca no bebé?

Muitos bebés nascem com ancas que parecem soltas quando se movimentam. A isto chama-se frouxidão da anca neonatal. Acontece porque as bandas de tecido que ligam um osso a outro, chamadas ligamentos, são extra elásticas. A frouxidão da anca neonatal normalmente melhora por si só entre a 4-6 semanas de idade.

Um bebé cujos ligamentos da anca ainda estejam soltos após 6 semanas pode necessitar de tratamento e examinação médica. Por isso, as consultas médicas de acompanhamento para bebés com flacidez da anca são importantes para o despiste de problemas na anca.

Bebés com Displasia do Desenvolvimento da Anca

Qualquer bebé pode ter Displasia do Desenvolvimento da Anca. Contudo, existe uma maior predisposição para que o problema aconteça mais e bebés do sexo feminino, bebés pélvicos ou que já tenham um histórico familiar da doença.

Geralmente a Displasia do Desenvolvimento da Anca é um problema que poderá surgir após o nascimento do bebé. Por isso, é muito importante prevenir o problema para que se possa evitar o aparecimento e para que se possa corrigir o mais rápido possível.

Como é diagnosticada a displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

Geralmente os profissionais de saúde infantil descobrem a maioria dos casos durante os exames de saúde da criança. Se um bebé tiver sinais de displasia do desenvolvimento da anca ou apresentar um risco mais elevado, o médico pedirá exames de despiste.

Um dos exames pedidos é a ecografia que utiliza ondas sonoras para obter imagens da articulação da anca do bebé. Este exame funciona melhor em bebés com menos de 6 meses de idade. Isto porque a maior parte da articulação da anca de um bebé ainda é cartilagem mole, que não aparece num raio X.

Para bebé com mais de 4-6 meses, poderá ser pedido um exame de radiografia uma vez que os ossos já estão suficientemente formados para serem vistos numa radiografia.

Como é tratada a displasia do desenvolvimento da anca no bebé?

Um cirurgião ortopédico pediátrico (um especialista em doenças ósseas infantis) irá acompanhar o bebé. O objetivo dos cuidados é colocar a bola da anca no encaixe e mantê-la lá, para que a articulação possa crescer normalmente. O cirurgião ortopédico irá escolher o tratamento com base na idade da criança. As opções incluem: imobilização, uma redução fechada e gesso, uma redução aberta (cirurgia) e colocação de gesso, uma cinta ou gesso que mantenha a anca no lugar a ser aplicada em ambos os lados, mesmo que só uma anca esteja afetada.

Displasia do desenvolvimento da anca no bebé - Aparelho ortodôntico

O tratamento para bebés com menos de 6 meses de idade consiste normalmente numa cinta. A cinta utilizada mais frequentemente é um arnês Pavlik. Tem um arnês para os ombros que se prende a estribos para os pés. Coloca as pernas do bebé numa posição que guia a bola da articulação da anca para o encaixe.

O tratamento com o arnês Pavlik dura frequentemente cerca de 6 a 12 semanas. Enquanto usa o arnês, o bebé faz um check-up a cada 1-3 semanas com ecografias e exames à anca. Durante a visita, a equipa médica pode ajustar o arnês, se necessário.

Normalmente, o arnês (cinta) funciona bem para manter as ancas na posição correta. A maioria dos bebés não precisa de outro tratamento. Raramente, o arnês não é capaz de manter a bola da anca no encaixe. Nesse caso, os médicos podem fazer uma redução fechada (mover manualmente a bola de volta para a anca) e colocação de gesso uma redução aberta (cirurgia) e colocação de gesso.

Que mais devo saber sobre a displasia do desenvolvimento da anca nas crianças?

Segundo o Dr. Gonçalo Trafaria, osteopata infantil, os bebés e crianças devem fazer pelo menos uma consulta de osteopatia infantil por ano até aos 18 anos de idade, ou até quando terminarem o seu crescimento. Essas consultas ajudam a garantir o bom desenvolvimento da anca, bem como todo o desenvolvimento motor da criança.